sábado, 28 de março de 2020

Provas canceladas - um prejuízo para os organizadores

A Primavera é um dos pontos altos das provas de corrida e trails.
Com tudo suspenso, houve organizações que optaram por adiar, outras mesmo por suspender.


As provas previstas para Março, Abril e Maio já tinham as fases promocionais terminadas, já com uma boa previsão do nº de atletas. Muitos dos custos já foram incorridos e o material já estava comprado, sejam as t-shirts (eu bem digo que é um desperdício), sejam as medalhas, sejam os brindes (quando há), sejam os saquinhos do kit's. Percebe-se o problema de devolver o dinheiro aos atletas. Para devolver aos atletas, não se poderá pagar aos fornecedores. Agora tem de se encontrar soluções justas e não escudar apenas no "regulamento" porque é inesperado para todos.
O licenciamento consegue-se adiar e nos trails os caminhos terão de ser novamente limpos.


Agora vamos à outra parte: existem organizações amadoras que não visam o lucro e onde o preço das inscrições visam apenas cobrir os seus custos com o evento (vivem do voluntariado e do amor à camisola dos seus membros) e existem as organizações empresariais. Essas sim, têm a verdadeira batata quente. Têm salários para pagar, obrigações fiscais e afins. Mais dependentes dos patrocínios (sponsors) vão ter mais dificuldades.

Assim de repente ocorrem-me as seguintes atividades afetadas:
- Clubes e empresas organizadoras - sem receitas nenhumas 
- Estampagem de camisolas
- Gravação de medalhas
- Cronometragem
- Impressão de dorsais
- Saquinhos e merchandising associado

Das provas marcadas já vimos as opções: 
i) o adiamento para uma nova data 
ii) quem não aceitar/puder, dão a t-shirt/kit 
iii) a opção de diferir a inscrição para o próximo ano - diria a opção mais prudente
iv) Para as organizações mais atrasadas, já se anunciou a devolução dos valores pagos e cancelamentos.

Sobre os adiamentos, algumas organizações estão a adiar para Setembro. Outras, mais prudentes, ainda não dão nova data. Um dos problemas é que não vai haver datas perfeitas e vai haver coincidências de outras provas.

Para os tempos que se avizinham e depois da pandemia passar, dos atletas acho que vai depender muito dos preços. Muita gente vai correr na rua (é gratuito e vai-se precisar de esticar as pernas e emagrecer), mas pouca gente vai estar disposta a estar em provas caras até porque há muita incerteza e pessoas sem emprego onde esse dinheiro, mesmo não sendo nada de extraordinário, vai fazer falta.

PS.: Elogio a Prozis que fechou as inscrições em todos os eventos. Mas não percebo porque razão a Lap2Go também não fechou as inscrições. Até para proteger os inscritos de eventuais cancelamentos, deveria ter feito o mesmo!

domingo, 15 de março de 2020

Não há treinos nem provas - agora é conter o vírus

Tudo parado, tudo suspenso.
Não há treinos e muito menos provas.
Não se sabe até quando.
Quem quiser, pode e deve fazer exercício físico em CASA. Não é fora e muito menos em grupo.

Hoje, domingo, as app's mostram fotos de pessoas a treinar em grupo. Mesmo com os cuidados, para quê correr riscos? Não podem ficar 1 ou 2 semanas sem correr? Façam-no em casa!

Até no abastecimento de combustível, ao tocar na maçaneta do prédio podem apanhar vírus. Já basta para ir trabalhar, comprar comida ou pôr o lixo!

Confiantes que tudo vai acabar bem, é uma incógnita o que vai acontecer com as provas adiadas (e pagas). Além da expectável sobreposição, haverá naturais desistências. Haverá reembolsos? Haverá como compensação o envio do kit sem reembolso?
Muitas questões sem resposta onde se espera o bom senso. Mas primeiro conter o vírus.

sábado, 22 de fevereiro de 2020

Primeiro preço com muita antecedência

Estou com algumas dificuldades no planeamento das provas.
Hoje em dia já são tantas que tem que haver uma triagem entre o que queremos repetir, experimentar e eliminar.

Até fiz um excel para me ajudar a planear.
À semelhança de 2019, há uma concertação muito em grande em Junho.

Duas provas que quero fazer em 2020 têm o primeiro preço a acabar na 6ª feira, no caso os trilhos da Mamoa e a Corrida Milionária. Estamos a falar de 11 € e 10 €, respetivamente.

Porém com tanta antecedência levanto o desafio, como é que com cinco meses de antecedência conseguimos planear corridas?

Entretanto já foi divulgado o circuito trail de Santa Maria da Feira para 2020 (trails gratuitos com fitagem e abastecimento). Este ano não há grande inovação, mas têm a particularidade de terem o mesmo percurso que os trails pagos (caso dos termais, Mamoa, Inha/Pernetas/Trepa Solidário Caldas S. Jorge)..

Por essa razão e devido ao elevado preço mesmo com antecedência, desisti de me inscrever no Trail da Mamoa.


sábado, 25 de janeiro de 2020

Definir a agenda para 2020

Estamos em Janeiro, mas é uma boa prática definirmos quais as corridas que queremos ir, as que não queremos, fazer um orçamento para nos inscrevermos logo na primeira fase e para evitar até que nos inscrevamos em provas no mesmo dia.

Outra vantagem é evitar inscrições em dias que estejamos a pensar ir de férias ou que não possamos mesmo nos inscrever.

Para isso, fui ao Dr. Google e obtive um calendário onde já fui colocando algumas provas que já têm dia marcado. Aproveitei e também já registei os dias e fins de semana que não poderei mesmo ir.

Ao colocar no calendário, apercebi-me que há muitas provas em Maio e Junho. Algumas não estão confirmadas, mas pressupus a sua continuidade nas datas do ano passado.
Para já, inscrevi-me em duas provas a decorrer em Abril e Maio.

Conto também ir a caminhadas solidárias que haja aqui perto, a preços razoáveis, mais do que fui no ano passado.

terça-feira, 14 de janeiro de 2020

São Silvestre de Espinho 2019

Este ano, além da S. Silvestre de Ovar, fiz a São Silvestre de Espinho.

Habitualmente é em Janeiro e este ano não fugiu à regra. A organização pertenceu à Atletas.net com um percurso a duas voltas igual à edição anterior.

O tempo estava fresco, com o habitual vento em Espinho e muitas caras conhecidas. Cumprimentos e conversas antes da partida e durante o aquecimento junto ao Centro Multimeios.
A t-shirt apesar de ser da "Rolly" tinha um design bastante atrativo.

À hora marcada iniciamos a corrida num percurso com um misto de plano e inclinações. O mapa ditou um "H" nas ruas paralelas e perpendiculares na cidade. Começa com uma descida pela Rua 23, sobe-se a 19 e entra-se nas retas da 24 e depois da 32. Aqui está a maior dificuldade da prova pois é onde tem a subida mais inclinada.
Ia lançado e fiz muito bem quer a primeira, quer a segunda volta.

No fim, não havia sólidos. Só água, leite e a medalha.

sábado, 28 de dezembro de 2019

A importância das t-shirts nas corridas

E se as organizações deixassem de dar t-shirts nos "kits" e baixassem o preço?

Na maioria das corridas, a t-shirt está incluída no preço. Se nas mais populares, a % de utilizadores das mesmas na prova é elevada, nas menos populares (como por exemplo os Grandes Prémios), os atletas usam a dos respetivos clubes.


A maioria das organizações opta por poupar aí uns euros. Oferece t-shirts técnicas sem grande qualidade.
As próprias marcas não se associam muito a este potencial. A New Balance apenas patrocina a S. Silvestre de Lisboa, a Joma associa-se às da GlobalSports/algumas da Run Porto e Corrida Milionária, enquanto a 42K se deu a conhecer na Corrida de S. João do Porto, Meia de Ovar e a S. Silvestre do Porto (substitui a Asisc).

As t-shirts são depois usadas para treinar no dia a dia. Mas as pessoas usam as melhores. Portanto, são as referidas acima que mostram os patrocinadores, as próprias marcas e publicitam as provas.

Por isso defendo que as marcas e organizadores de corrida deveriam refletir: ou dão uma t-shirt de qualidade e pagamos por ela ou não dão t-shirt e baixam o preço.

Diria mais, hoje em dia com tantas t-shirts, penso que não tarda, as organizações vão diversificar o merchandising. A RunPorto já experimentou os coletes, mas creio que não tarda chegarão os calções das provas.

quarta-feira, 25 de dezembro de 2019

São Silvestre de Ovar 2019


A São Silvestre de Ovar de 2019 foi a primeira em que participei nesta cidade.

No ano passado, houve muitas críticas em relação à organização e este ano foi entregue ao Clube Atletismo de Ovar. Para a primeira vez nãos e safaram nada mal. Bons patrocinadores, um percurso reto, pena o mau tempo a complicar. Felizmente durante a prova não choveu.

A inscrição estava abaixo da média das corridas talvez para reconquistar os atletas que a edição de 2018 afastou. 7.5 € até vinte dias antes da prova é acessível. Talvez por isso, aliada à mudança de organizadores tenha levado 1.200 pessoas a desafiar o frio e o vento.

Quem tem um Malaquias como patrocinador, tem tudo. Um saco cheio de bebidas, bolachas, fruta e chocolates para repor as energias. A t-shirt era verde, da "Makito" - sem grande design e sem grande qualidade. Ainda assim questiono a razão de ser de manga curta... Com um preço baixo, não se podia exigir mais.

Ao nível dos tempos, consegui superar as marcas mais recentes, mas não tenho o histórico atestar a evolução.

Fiquei satisfeito com a edição de 2019.

domingo, 1 de dezembro de 2019

Dezembro - mês da São Silvestre

O mês de Dezembro é mês de São Silvestres.

Cada cidade tem a sua, chegando mesmo a haver mais que no mesmo concelho, como por exemplo em Famalicão. Naturalmente que coincidem umas com as outras.


No ano passado fui à São Silvestre de Espinho. Este ano, 2019, não vou.

A t-shirt até é bonita, mas o problema é o resto. Um percurso feio, desinteressante, a duas voltas, sem calor humano exatamente igual ao ano passado. A medalha foi muito feia, sem qualquer ligação à cidade nem a nada.
A organização da Atletas.net, que além de não ser das mais baratas, limita-se a dar apenas uma maçã no final. Representa os defeitos das "empresas" organizadoras.

Por isso, decidi experimentar a São Silvestre de Ovar.
Nesta edição e depois das inúmeras críticas do ano passado, mudou de organizador. Os patrocinadores e o preço acessível prometem uma boa prova. Só no dia se verá. Tendo em conta o elevado standard da Corrida do Azulejo, tenho expectativas elevadas.

domingo, 28 de julho de 2019

Team Strada

Sobre o meu ultimo post, estalou o verniz com um dos Youtubbers/influencers que afinal têm ... agentes, como os jogadores de futebol.
Nem sabia que também havia agentes no meio.

Houve um beijo na boca num programa de TV, o que despertou a curiosidade para o mundo "Team Strada" e o que veio a seguir foi surpreendente. O vídeo do papel higiénico é infeliz, mas levanta muitas questões:
- Qual o papel dos pais?
- Os reguladores? O proprio YouTube?
- Mais grave, não será este mundo dos influencer uma ilusão para os adolescente que estão dispostos a tudo por mais uns likes?

domingo, 30 de junho de 2019

Redes sociais coscuvilheiras

Esta semana procurei por um hotel em Madrid e o Google sugeriu-me o booking.com.

Passados uns minutos fui ao Facebook e na publicidade entre os post dos meus "amigos" apareceu publicidade dos hotéis que andei a ver. De repente senti-me observado pelo Facebook!

Curiosamente, volta e meia faço compras on-line num site de uma conhecida marca e quando vou a outros sites, por exemplo, aparece sistematicamente publicidade a essa marca.

Faz sentido o Facebook expor-me a marcas/sites através de uma pesquisa que eu fiz fora dessa rede social? Faz sentido a marca dar informações minhas aos algoritmos do Google e expor-me a publicidade fora do site dela?

Já dei por mim a pensar sobre o que significa as app's e os sites que "permitem" que façamos o login com o Facebook. Na verdade não são eles que nos estão a fazer um favor, mas nós que estamos a fazer um favor às marcas/app's. Através do Facebook podem saber tudo o que quiserem da nossa vida: onde estivemos, quão populares somos (pelo nº de amigos, tag's ou fotos), o que pesquisamos, de onde somos, quantos likes e em quê colocamos. Através dessas informações, permitem às marcas estudar perfis e orientar a publicidade para o público alvo de forma mais eficaz, bem como aumentar o sucesso da partilha das suas campanhas e o brand recognition.

Passamos a ter além de vizinhos cuscos, redes sociais e app's cuscas que querem saber tudo sobre a nossa vida e os nossos hábitos.